Honrar as mulheres como faz nosso Senhor

Continua na Internet e nas nossas congregações uma discussão sobre se as mulheres devem ser autorizadas a servir em certos papéis no seio da Igreja.

Por vezes, tais discussões podem tornar-se controversas, especialmente quando as pessoas discordam sobre o que constitui “apropriado”.

Mas devemos lembrar que estes debates não são apenas sobre o que as mulheres podem e não podem fazer; são também sobre como nos vemos como seguidores de Cristo.

Não devemos deixar que as discordâncias sobre o papel que as mulheres devem desempenhar nos distraiam de ver as mulheres como discípulas fiéis de Jesus Cristo.

Muitas mulheres de todos os continentes e denominações concordam que muitas vezes se sentem isoladas e ignoradas quando assistem aos cultos da igreja.

Acreditam que a Noiva de Cristo por vezes as mantém afastadas, mesmo que ela não tenha a intenção de o fazer.

É importante para nós sermos precisos quando falamos do papel das mulheres na igreja, mas também é importante para nós perguntarmo-nos se a nossa linguagem reflecte a forma como Deus trata as mulheres na Escritura.

Presentando a Eva

Recordemos as primeiras palavras do homem para a Bíblia. Quando Deus criou o mundo e tudo o que nele existe, a história canta ao ritmo: “Deus viu que era muito bom” (Gen 1:7, 10, 14, 17, 22, 22, 26, 29).

Mas então, de repente, Deus diz: “Não é bom que o homem tenha de viver sozinho” (Gn 2,18) Assim, Deus fez a mulher, a ajudante ideal para o homem.

Como o pai traz a sua nova noiva ao marido, assim Deus apresenta a mulher ao homem (ver Gn 2,21).

O que se segue são as primeiras afirmações gravadas dos lábios humanos na Bíblia.

Quando viu a mulher, o homem estourou em canções: “Finalmente!” gritou ele: “Este é o osso do meu osso e a carne da minha carne; ela será chamada Mulher, pois foi tirada do Homem”.

E assim vemos que as primeiras palavras que uma mulher proferiu não foram apenas a fonte do seu nome, mas também o início da sua vida.

Naquele tempo, ela não estava a fazer nada, excepto existir através do poder de Deus.

E no entanto, a sua própria presença faz com que Adão se regozije. Desconhecendo que ela só existia por ordem de Deus, Adão reconhece que ela só a ele pertence.

Ela é a sua própria criação, e ele sabe como ela é importante para o plano de Deus para a humanidade. Ele não quer outra coisa senão partilhá-la com todos.

Adão foi incapaz de cumprir o chamamento de Deus sem Eva. A história parou porque não houve mais evolução.

A sabedoria de Deus na criação da mulher no início dos tempos só pode ser apreciada se compreendermos o quanto ela influenciou a sua vida. Apesar das suas falhas, Deus escolheu-a para fazer parte da sua família.

Ela tornou-se parte integrante dos Seus planos de redenção. À medida que a história avançava, Deus trouxe à tona a importância da mulher no seu trabalho redentor.

Ele demonstrou que sabia o que estava a fazer quando as criou. Elas foram feitas uma para a outra e complementam-se perfeitamente uma à outra. Elas são

Un libro de heroínas

As mulheres desempenham um papel importante na Bíblia. As suas histórias contam-nos a sua fidelidade e devoção ao Senhor.

No mundo antigo, as mulheres gozavam de menos direitos legais do que gozam hoje, e no entanto as Escrituras celebram as mulheres, colocando-as repetidamente no centro do plano de redenção de Jesus.

A sua fidelidade a Deus põe frequentemente em forte contraste a desobediência dos homens caídos. Conhecemos muitos dos nomes destas mulheres: Sara, Débora (a Profetisa), Hannah, Abigail (esposa de David), Ester (rainha da Pérsia), Isabel (mãe de João Baptista) e Priscila (companheira de Paulo).

Quatro mulheres aparecem mesmo na genealogia de Jesus: Rahab, Rute (que foi fiel ao seu marido apesar da sua infidelidade), Betsabá (esposa de Uriah) e Maria Madalena (uma mulher que tinha sido abandonada pela sua família e vivia os seus dias como uma proscrita).

Há muitos outros cujos nomes não conhecemos mas que Deus conheceu suficientemente bem para lhes dar nomes: mulheres que foram ressuscitadas dos mortos (Heb 11,35), viúvas que foram restauradas à vida (1 Reis 17,17-24), a mulher diligente e virtuosa louvada em Provérbios (Provérbios 31), a viúva que deu tudo o que tinha por Jesus (Marcos 12,41-44), e a mulher pecadora curada por Jesus (Lucas 7,36-50) e a sua filha.

Mulheres da Grande Comissão

A fé em Deus deve marcar todas estas histórias e continuar a inspirar os crentes de hoje. Uma pessoa não pode ler a Bíblia sem perceber o papel que Deus atribui às mulheres em cada momento da sua história.

Para além de dar ao homem o mandato de se multiplicar na Terra, Deus também dá à Igreja a tarefa de multiplicar discípulos. Assim, tal como Adão se maravilha com a criação de Eva por Deus, a Bíblia ensina-nos como glorificar a Deus pelo seu incrível dom de mulheres que são salvas através de Jesus Cristo.

As nossas irmãs têm sido instrumentos maravilhosos para o trabalho da igreja ao testemunharem Jesus e ao fazerem discípulos.

Deus usou-os para refinar e treinar os nossos irmãos à maneira de Deus. As suas orações e vidas piedosas ajudaram-nos a desfrutar das bênçãos dos seus filhos, Agostinho e João.

Não podemos dizer com certeza se Deus ficou satisfeito com as obras destas mulheres, mas podemos estar confiantes de que Ele ficou satisfeito com as suas vidas.

Claro, não nos limitamos a elogiar as irmãs cristãs cujo nome conhecemos. Há centenas de nomes que ainda não ouvimos que iremos celebrar no futuro.

São mães, esposas e avós fiéis que rezam ao céu enquanto se entregam às suas famílias ao longo do dia e da noite. São mulheres solteiras, alegres em Cristo, que se contentam com Deus apesar da constante tentação do mundo de pensar que a sua fé é insensata.

A minha experiência pessoal a viver no estrangeiro prova que há muito mais mulheres jovens solteiras do que homens jovens que atravessam continentes e fronteiras por causa do Evangelho.

Honrar as mulheres que vivem na nossa comunidade

Hoje, os homens cristãos têm uma oportunidade de mostrar o seu apreço pelas mulheres e de valorizar as qualidades femininas. Podem demonstrar que honram e respeitam as mulheres e as raparigas, mostrando-lhes o maior dom de todos – o dom de si.

Apresentamos a primeira mulher ao homem original como um presente e continuamos a abençoar as mulheres de hoje através de Cristo.

Tal como a mulher estava ciente da alegria do homem, também as mulheres cristãs deveriam saber da bênção que trazem para a igreja.

Sem mulheres cristãs, não podemos cumprir o nosso mandato de fazer discípulos. Todas as Escrituras dão testemunho deste facto.

As mulheres são a força motriz por detrás da missão da Igreja. Elas demonstram todos os dias o valor incomparável de Cristo.

Não nos podemos permitir ignorar as mulheres entre nós: nem mesmo o Deus da história ou Deus encarnado as ignora.

Related Posts