• 230x230 CNE 0173230x230 CNE 0225230x230 CNE 0150
    © CNE
  • 230x230 CNE 0126230x230 CNE 0212230x230 CNE 0208
    © CNE
  • 230x230 CNE 0291230x230 CNE 0279230x230 CNE 0181
    © CNE
  • 230x230 PGS 0116230x230 PGS 0183230x230 PGS 0421
    © Pedro Grandão
  • 230x230 CNE 0104230x230 CNE 0288230x230 CNE 0302
    © CNE
  • 230x230 PDS 0648230x230 PDS 0650230x230 PDS 0657
    © Pedro Duarte Silva
  • 230x230 FC 0049230x230 FC 0050230x230 FC 0051
    © Filipe Condado
QUEM SÃO OS FIÉIS LEIGOS

JOÃO PAULO II
Christifideles Laici – sobre Vocação e Missão dos Leigos na Igreja e no Mundo, nº9

[…] Ao responder à pergunta «quem são os fiéis leigos», o Concílio, ultrapassando anteriores interpretações prevalentemente negativas, abriu-se a uma visão decididamente positiva e manifestou o seu propósito fundamental ao afirmar a plena pertença dos fiéis leigos à Igreja e ao seu mistério e a índole peculiar da sua vocação, a qual tem como específico «procurar o Reino de Deus tratando das coisas temporais e ordenando-as segundo Deus». «Por leigos — assim os descreve a Constituição Lumen gentium — entendem se aqui todos os cristãos que não são membros da sagrada Ordem ou do estado religioso reconhecido pela Igreja, isto é, os fiéis que, incorporados em Cristo pelo Batismo, constituídos em Povo de Deus e tornados participantes, a seu modo, do múnus sacerdotal, profético e real de Cristo, exercem pela parte que lhes toca, na Igreja e no mundo, a missão de todo o povo cristão».

Já Pio XII, dizia: «Os fiéis, e mais propriamente os leigos, encontram-se na linha mais avançada da vida da Igreja; para eles, a Igreja é o princípio vital da sociedade humana. Por isso, eles, e sobretudo eles, devem ter uma consciência, cada vez mais clara, não só de pertencerem à Igreja, mas de ser a Igreja, isto é, a comunidade dos fiéis sobre a terra sob a guia do Chefe comum, o Papa, e dos Bispos em comunhão com ele. Eles são a Igreja...».
Segundo a imagem bíblica da vinha, os fiéis leigos, como todos os outros membros da Igreja, são vides radicadas em Cristo, a verdadeira videira, que torna as vides vivas e vivificantes.

A inserção em Cristo através da fé e dos sacramentos da iniciação cristã é a raiz primeira que dá origem à nova condição do cristão no mistério da Igreja, que constitui a sua mais profunda «fisionomia» e que está na base de todas as vocações e do dinamismo da vida cristã dos fiéis leigos: em Jesus Cristo morto e ressuscitado o batizado torna-se uma «nova criatura» (Gal 6, 15; 2 Cor 5, 17), uma criatura purificada do pecado e vivificada pela graça.

Assim, só descobrindo a misteriosa riqueza que Deus dá ao cristão no santo Batismo é possível delinear a «figura» do fiel leigo.

 pdf