Painel internacional

3.º ENL – Nada nos é indiferente entre a Terra e o Céu


LuisFernández Ouvir o clamor da Terra e o clamor dos Povos: um olhar a partir da Amazónia
Luis Ventura Fernández

Antropólogo espanhol. Leigo Missionário da Consolata. Casado e pai de quatro filhos.
Durante nove anos foi Missionário Leigo, com a sua família, na Amazónia, na Diocese de Roraima, no Brasil, vinculado ao Conselho Indigenista Missionário – CIMI. Dedicou-se à causa indígena, particularmente com os povos da Terra Indígena Raposa Serra do Sol. Participou do processo de criação da Rede Eclesial Panamazónica – REPAM em 2013 e 2014.
Atualmente vive em Espanha, trabalha no Programa de Cooperação Fraterna com a Pan-Amazónia e na articulação do Eixo de Redes Internacionais e do Eixo de Investigação da REPAM da Cáritas Espanhola. Desenvolve investigação relacionada com A territorialidade, os direitos indígenas, o modelo extrativo-exportador e os seus impactos sociais e ambientais na América Latina.

PascaleWarda

Proteger os nossos irmãos perseguidos: um testemunho na guerra e no genocídio do Iraque
Pascale Warda

Iraquiana. Presidente da ONGD- Organização Hammurabi de Direitos Humanos. Investigadora.
Nasceu em 1961 em Duhok-Dawidya, no Iraque, numa família Assírio-Caldeia, da Igreja Católica da Caldeia. A sua família foi vítima do genocídio de 1988. Reside em Bagdad.
Em França: fez Estudos Filosóficos e Teológicos no Centro Cultural Cristão em Lourdes; obteve o Diploma de Estudos Aprofundados (DEA) em Estudo de Direitos Humanos, no Instituto de Direitos Humanos da Faculdade de Direito e Ciências Sociais, da Universidade Católica de Lyon; integrou Organizações Não Governamentais de defesa dos direitos da Mulher e da Juventude.
Foi cofundadora da Sociedade de Direitos Humanos do Iraque, que estendeu a sua ação também para Damasco. Foi Presidente da União de Mulheres Assírias. Foi Ministra das Migrações no Governo Provisório liderado pelo representante das Nações Unidas no Iraque, de junho de 2004 a maio de 2005, onde representou o Estado Iraquiano em reuniões das Nações Unidas em Genebra e em encontros do G8. Foi fundadora do Jornal da Mesopotâmia, orientado pela União de Mulheres Assírias, de que foi Presidente, de 2001 a 2006.
Fez conferências em várias Universidades sobre a situação dos cristãos no Iraque, o genocídio e a situação da mulher no pós-guerra, nos EUA; na Alemanha, em Espanha, no Chipre, no Líbano, em Itália, em Inglaterra- Universidade de Oxford. Participou em inúmeras reuniões e cimeiras nacionais e internacionais.
Em 2013 recebeu o prémio de direitos humanos, por liderar a mais bem-sucedida Organização Não Governamental na mais perigosa situação do mundo. Recebeu muitas vezes o prémio da Corajosa Liderança Feminina do Ministério dos Assuntos Femininos em Bagdad. Foi a Mulher do Ano das Organizações Não Governamentais da Mulheres Assírias, como defensora dos direitos das Mulheres e da Liderança da Mulher no Iraque.

JosephCampo

Encontrar sentido para a vida e libertar da pobreza: uma experiência na cidade de Nova Iorque

Joseph Campo
Americano. Natural de Long Island.
CEO da Grassroots Films, Inc., que através do poder do som e imagem, visa inspirar a forma como as pessoas vêem a realidade, trazendo audiências a lugares muitas vezes difíceis de encontrar. Produtor Executivo de "Deus nas Ruas da Cidade de Nova York", "Pescadores de Homens" (acreditado pela Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos) e do documentário premiado "The Human Experience".
Diretor da Casa de S. Francisco. Prestou serviço de conselheiro de dependentes de droga e álcool, foi mentor e figura paterna para os residentes da Casa de S. Francisco durante 25 anos. Foi durante 15 anos Diretor da "JUVENTUDE 2000", organizando retiros centrados na Eucaristia em toda a área de Nova York. Trabalhou com os mais pobres dos pobres nas cidades do interior. Durante esse tempo, colaborou também na Equipa do Ministério da Música.
Desenvolveu, ainda muito jovem, um interesse pela fotografia. Continuou a desenvolver os seus talentos como se pode ver hoje pelo seu trabalho de produtor, orador, operador de câmara e fotógrafo.
É pai de dois filhos e membro da Ordem Terceira Franciscana.

antoniopintoleite

Moderação

António Pinto Leite
Advogado. Árbitro (nacional e internacional) e membro português da Corte Internacional de Arbitragem da Câmara de Comércio Internacional (CCI). Membro do Conselho Superior da Magistratura, eleito pela Assembleia da República, desde 2011. Escreve na Coluna regular no «Expresso» (1990 -2011). Conferencista (em Portugal e no estrangeiro).
Foi Sócio fundador da Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados (em 1994), Presidente da Escola Superior de Comunicação Social (1988 - 1995) e Presidente da ACEGE - Associação Cristã de Empresários e Gestores (2010 - 2015).