• 230X230 CentroAletti 0019230X230 CentroAletti 0020230X230 CentroAletti 0021
    © Centro Aletti
  • 230X230 CentroAletti 0001230X230 CentroAletti 0004230X230 CentroAletti 0005
    © Centro Aletti
  • 230X230 CentroAletti 0006230X230 CentroAletti 0011230X230 CentroAletti 0018
    © Centro Aletti
O ACONTECIMENTO JESUS CRISTO (4/6)

LOURENÇO, João, O Acontecimento Jesus Cristo
in «Communio», Ano XIX, 2002, n.º 2, 107-121

III. Do sentido da Escritura às releituras da vida de Jesus

1. A Carta aos Hebreus
2. Hinos cristológicos das cartas Paulinas
3. Os discursos de Pedro no livro dos Actos
4. Os Evangelhos da Infância

A tensão entre o único e o plural esteve sempre presente e faz parte da vida da Igreja enquanto comunidade de fé. Parecendo por vezes que é apenas uma tensão dos nossos dias, ela é uma riqueza das origens que remonta à própria comunidade apostólica na diversidade das suas expressões de uma mesma fé, naquilo que essa fé tem de mais fundamental e de fundamentante: a compreensão da vida de Jesus. Professada no dia a dia da sua vivência, celebrada na liturgia e na oração, testemunhada no anúncio querigmático, a vida de Jesus, enquanto Senhor e Mestre, assume uma pluralidade de compreensões que se traduzem em textos tão multiformes quanto o são os momentos e os contextos em que essas mesmas compreensões decorrem. Para além dos Evangelhos, onde é fácil verificar as diversas perspetivas dos Sinópticos e de João, essa diversidade alarga-se a textos dos Actos, às Cartas Paulinas, à Epístola aos Hebreus, ao Apocalipse, etc., e isto tomando estes textos apenas em sentido global. Num trabalho como este, seria impossível debruçarmo-nos com detalhe sobre pequenas perícopes ou mesmo sobre textos específicos. Conscientes destas dificuldades, tomamos como referência apenas alguns dos diversos géneros literários usados no Novo Testamento, em que são tipificados os diversos sentidos da vida de Jesus, possibilitando-nos pôr assim em evidência as linhas de força subjacentes a essa compreensão.