• 230X230 CentroAletti 0019230X230 CentroAletti 0020230X230 CentroAletti 0021
    © Centro Aletti
  • 230X230 CentroAletti 0006230X230 CentroAletti 0011230X230 CentroAletti 0018
    © Centro Aletti
  • 230X230 CentroAletti 0001230X230 CentroAletti 0004230X230 CentroAletti 0005
    © Centro Aletti
O ACONTECIMENTO JESUS CRISTO (2/6)

LOURENÇO, João, O Acontecimento Jesus Cristo
in «Communio», Ano XIX, 2002, n.º 2, 107-121

I. Do "acontecimento" à sua interpretação

1. A experiência vivencial de Paulo
2. A experiência vivencial dos Apóstolos
3. A experiência histórica da comunidade apostólica

Desde cedo que a comunidade apostólica sentiu a necessidade de encontrar uma chave hermenêutica que lhe permitisse ler e encontrar o significado da vida de Jesus. Esse código interpretativo foi, antes de mais, construído a partir do Antigo Testamento, tomando para tal as mais genuínas esperanças messiânicas, alargadas a um quadro mais amplo que engloba igualmente algumas das expectativas de natureza popular que, aliás, encontramos bem explícitas nos Evangelhos.

No entanto, partindo da vivência com o Mestre e da sua própria experiência pascal, desde cedo a comunidade apostólica tomou consciência da insuficiência desse quadro hermenêutico, não para o negar ou prescindir dele, mas antes sentindo necessidade de o alargar e de o enriquecer. É particularmente Paulo, na leitura e compreensão que faz da vida de Jesus, aquele que primeiro nos mostra a insuficiência de uma leitura meramente veterotestamentária da vida do Senhor. Podemos perguntar: O que é que leva a comunidade apostólica a constatar a necessidade de alargar a sua leitura da vida do Mestre? Vamos analisar algumas das etapas desse processo de leitura e de reinterpretação da vida de Jesus.