• 700x230 ML 0019
    © Mário Linhares
“[NUM BANQUETE] NÃO TOMES O PRIMEIRO LUGAR”: SENTAR-SE COMO JESUS

Ir. Marta Heleno, aci
Naquele tempo, Jesus entrou, num sábado, em casa de um dos principais fariseus para tomar uma refeição. Todos O observavam.

Ao notar como os convidados escolhiam os primeiros lugares, Jesus disse-lhes esta parábola: «Quando fores convidado para um banquete nupcial, não tomes o primeiro lugar. Pode acontecer que tenha sido convidado alguém mais importante do que tu; então, aquele que vos convidou a ambos terá que te dizer: ‘Dá o lugar a este’; e ficarás depois envergonhado, se tiveres de ocupar o último lugar.

[Lc 14, 1.7-11]

Contemplamos um excerto do Evangelho deste domingo, o XXII Tempo Comum, que nos apresenta, uma vez mais, Jesus sentado à mesa: dando tempo e espaço ao ENCONTRO, à Palavra, à relação.

Começo a oração fazendo-me presente ao Senhor Jesus. Dispondo-me a dar-Lhe tempo e espaço. A estar com Ele, com tudo o que tenho e sou.

Peço a graça de, através deste Evangelho, entrar no Seu Coração, de O conhecer melhor para O amar mais.

1. Esta cena abre com uma troca de olhares: “todos observavam Jesus” (até porque Ele acabara de curar um homem ao sábado) e também Jesus observava (“notava”) os convidados. Estes últimos procuravam os primeiros lugares.

SENTAR-SE nos primeiros lugares: Descarada ou subtilmente – segundo os momentos e o temperamento de cada um – também nós caímos muitas vezes na tentação de escolher um lugar de destaque.

Vivemos numa dinâmica de “superlativo relativo” - procuramos ser “o mais”! E aqui a lista é infindável: o mais forte, o mais inteligente, o mais astuto, o mais seguro, o mais rápido, o mais eficaz… mas também o mais fiel, o mais serviçal, o mais livre, o mais pobre, o mais discreto, o mais feliz…

Identifico em mim estas dinâmicas?

Peço a graça de as conhecer melhor, de detetar as causas, de conhecer os enganos em que me fazem cair: juízos, sentimentos de superioridade, comparações…

2. Oiço agora as palavras de Jesus: “Não tomes o primeiro lugar”.

Não te atribuas o próprio valor. Deixa que os outros “te sentem”, te conduzam, te coloquem nas suas relações com liberdade, sem ânsias de protagonismo. Aceita ter na vida dos outros o lugar que eles te querem dar.

Em que situações, com que pessoas, em que relações quero, a todo o custo, “tomar o primeiro lugar”?
Onde me chama Jesus a SENTAR-ME como Ele, discreta e humildemente, aceitando o lugar que outros me querem conceder?

Termino a oração com um colóquio com o Senhor Jesus: agradecendo, pedindo a graça de crescer em humildade verdadeira, que é a do Senhor Jesus.


 pdf